Fortificações de Elvas Património Mundial da Unesco

Hoje, em S. Petersburgo, na Rússia, a Unesco declarou as Fortificações de Elvas Património Mundial.

A fundação do conjunto de fortificações de Elvas, remonta ao reinado de D. Sancho II e é o maior do mundo na tipologia de fortificações abaluartadas terrestres, possuindo um perímetro de oito a dez quilómetros e uma área de 300 hectares.

 “O Castelo de Elvas data do reinado de D. Sancho II e assenta sobre uma estrutura muçulmana, da qual ainda se conservam duas cinturas de muralhas. A cidade foi tomada aos mouros, sucessivamente em 1166 e 1220, mas só em 1226 o castelo foi definitivamente conquistado, imediatamente reedificado e concluído em 1228.

No reinado de D. Dinis introduziram-se algumas inovações ao nível das coberturas e outros elementos de apoio, como os torreões e os matacães. Nos séculos seguintes, D. João II e D. Manuel I adaptaram o castelo rumo a um novo sistema abaluartado, de gosto renascentista, ao mesmo tempo que todo o conjunto assumiu um carácter mais residencial, a cargo dos alcaides da cidade.

 Com a grande reforma militar de meados do século XVII, o Castelo de Elvas passará a ser um dos mais notáveis conjuntos abaluartados da Europa, devido à premência da defesa em pleno ciclo de guerras de fronteira (1641-1668). A obra encontra-se atribuída ao engenheiro Padre Cosmander e a outros mestres, que para o efeito foram chamados à corte portuguesa por D. João IV e D. Afonso VI. Destaca-se, desta campanha, o complexo sistema de muralhas, revelins, fossos, bem como duas fortalezas secundárias, as de Santa Luzia e da Graça.

Ao longo do século XVII, XVIII e XIX Elvas sofre modernizações constantes do seu recinto amuralhado constituindo-se num enorme campo entrincheirado.

Apesar das grandes transformações sofridas ao longo da História, o Castelo de Elvas mantém a sua estrutura militar medieval e é reconhecidamente um dos mais importantes casos de sobreposição de funções e de evolução das concepções estratégico e militares ao longo da História onde claramente foram aplicadas os melhores conhecimentos práticos e teóricos.

Da função militar derivam, fruto da violência e agressão fronteiriça, acentuadas em tempos de conflito armado, uma série de componentes e de matrizes que transformam Elvas, de forma continuada e evolutiva, numa cidade com função defensiva predominante e que a convertem numa notável cidade fortificada.

A leitura histórica dos vários sistemas militares defensivos, presentes no conjunto das estruturas edificadas e no desenho da própria cidade, impõem a valorização não de uma época mas de um processo sistémico e erudito, de base arquitectónica, urbanística e militar.”, www.unesco.pt; Imagens internet

Veja a notícia do Público aqui.

Anúncios

Sobre clube11raizes

Clube de Divulgação e Defesa do Património
Esta entrada foi publicada em Mais recente, Notícias, Património, Património Mundial de Origem Portuguesa, Património Nacional. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s